Um depoimento real e sincero sobre perda de peso e a banalização da cirurgia bariátrica

3
8085

Olá RPA’s,

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O texto que segue foi originalmente publicado pela Camila Morotti em seu mural do Facebook. E com a autorização dela, gostaria de compartilhar aqui com vocês.
No texto, a Camila conta um pouco do processo – e progresso – em busca de novos hábitos e de superação. Enquanto que, de forma inspiradora, relata uma série de sentimentos a respeito do seu processo de emagrecimento.

Que o texto sirva de inspiração para você para buscar a transformação que você deseja para si, seja ela qual for.


“Boas ações dão força para nós mesmos e inspiram boas ações nos outros”
Platão


(Sobre meu IMC ter saído de 41,5 e chegado em 28,7 – 40kg)

Fui até um nutrólogo em Rio Preto com minha avó, pedir ajuda.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO


– Doutor, quero emagrecer de um jeito saudável, me ajuda?
– Como você está na obesidade mórbida, aconselho você engordar mais 15kg e fazer bariátrica.

Minha avó brigou com ele.
Saí de lá e comi umas duas bombas de chocolate, como se elas fossem aliviar minha dor HAHA  
O cara queria cortar meu estômago…

Passado alguns meses, junto com os protestos de Junho, decidi mudar. Talvez quase ninguém saiba, mas eu tive fobia social level máximo – preguiça de explicar, acho interessante as pessoas começarem a se informar sobre psicologia/psiquiatria – e os protestos me ajudaram muito nesses dois processos.

Bem, resolvi mudar em Junho do ano passado. Se hoje eu viesse com um discurso orgulhoso bariátrico, a data da cirurgia que nunca aconteceu, teria sido 11 de Junho. Diminui o refrigerante, pão, pizza, cachorro-quente, miojo de tomate da mônica (que eu comia uns 3 de uma vez, ave) e comecei a descobrir novos sabores: chá, suco, pão integral, maçã , etc. Também comecei a andar mais a pé por São Paulo, ao invés de só ir de metrô/ônibus, ia a pé mesmo e economizava no rolê. Andei bastante do ano passado pra cá.

Foi aos poucos, não fiz dieta, porque quando tentei há poucos meses, a coisa desandou. 
Perdi de 5 em 5 kg e cada vez que pulava um tom da tabela do IMC, eu me imaginava sambando na mesa do puto: ‘Olha aqui seu nutrólogo de merda, bariátrica meu %$’, rs

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Descobri que tinha compulsão alimentar, óbvio. Mas, quando é na nossa casa, é difícil enxergar. Usava a pizza e a coca pra diminuir minha ansiedade/dor que nunca acabava. É fácil as pessoas julgarem as outras, sem saber o que existe por trás.

As pessoas vão te julgar de qualquer forma, a sua forma é linda, você é lindo também. Não melhore por ninguém, só melhore por você, SE você achar que precisa, SE seu corpo pedir. É claro que chá é mais saudável que refrigerante, mas ninguém é obrigado a se martirizar, se achar que chá não dá prazer (porque dá rs)! 

A indústria sempre vai estereotipar e as pessoas, também. Alguém vai me julgar por esse post, mas na real espero que outra pessoa tire isso como inspiração. Mudei, porque senti que precisava e só. Enquanto me cobraram, não resolveu nada.

Não é legal cortar o estômago das pessoas, quando existe algo por trás da compulsão alimentar (seja obesidade, seja anorexia, bulimia). Existem feridas que nenhuma cirurgia pode sanar e não se faz isso quando as pessoas poderiam simplesmente mudar os hábitos alimentares e controlar a ansiedade. 
É FODA ter que controlar vontade de comer coisas, mas consegui e o controle é diário.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Sou contra a INDÚSTRIA bariátrica, mas tem gente que é contra mulher sair na rua sem camisa. Sabe? Pão e pães é questão de opiniães, me disse Guimarães 

Mas, quero deixar claro que é MUITO difícil ser um obeso mórbido no Brasil, inclusive pra passar em catraca de ônibus, sentar em cadeiras, andar de metrô, comprar roupas etc. As pessoas olham para os obesos, como se eles tivessem culpa de não estarem menos obesos. Fica aqui meu absurdo em relação a isso! É cruel…

Não tenho foto de antes e depois, acho brega e claro que minha foto não seria uma mandando beijinho pro recalque. Já fica meu aviso: Vó, é uma foto de sutiã sem ser vulgar e a que mais reflete o que passei, já vi piores na propaganda da TV. 
Te amo e obrigada por não deixar aquele puto cortar meu estômago! Agradeço muito Deus por nunca me abandonar <3

1795755_10153087046424816_2682187553372049893_n

Por Julio Fontes

Eu sou Coletividad / Razões para Acreditar / ADP / Mesh & Make 🙂

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

3 COMENTÁRIOS

  1. A como é bom logo que acordar ver um texto desse, sabe…. a internet, na minha vida, me traz tanta coisa boa, tanta gente bacana pra se conversar, historias que jamais seriam contadas e hoje esta a um “compartilhar” de distancia. Me arrisco a dizer, as melhores conversas que tenho até hoje sao com amigos ou pessoas desconhecidas da internet.

    Tenho o mesmo problema que ela, sou compulsivo e sofro de ansiedade (e isso é um problema desde que sai da linda barriga de minha mãe, nasci de 7 meses) não sou obeso, mas não sou atlético, sou o famoso “gordinho”. Claro, tenho minhas crises de auto-estima, mas como ela mesma diz no texto qualquer coisa que você faça tem ser PRA VOCÊ não PRO OUTROS. Eu nunca me senti mal por ser assim, nunca me senti pior que ninguém, nunca tive problema com mulheres, nunca me senti excluído… mas atualmente penso em mudar, talvez, porque já cansei da mesmice ou de estar no mesmo lugar a tanto tempo e preciso de uma mudança, dizem que mudar é bom e espero que seja mesmo.

    Se a intenção era inspirar, parabéns, uma pessoa já foi atingida 🙂

Comments are closed.