Instituto distribui flores e estima gestos de afeto pelas ruas de POA


Instituto distribui flores e estima gestos de afeto pelas ruas de POA 1
PUBLICIDADE ANUNCIE

Quem transitou pelas ruas de Porto Alegre na primeira semana de Junho, se deparou com uma ação inusitada. Duas mil violetas foram deixadas em bancos, paradas de ônibus, entrada de lojas ou simplesmente no meio da calçada. A flor, um dos símbolos maristas, foi distribuída para comemorar o dia do fundador do Instituto Marista, São Marcelino Champagnat, comemorado em 6 de Junho.

No entanto, mais do que embelezar e alegrar o dia de quem encontrou essas violetas, ela trazia um compromisso: transformar o dia de alguém. Aquele que recebia a flor deveria passá-la adiante, marcar presença na vida de alguém e, quem sabe, despertar um sorriso. O resultado foram milhares de sorrisos, abraços e momentos de emoção:

violeta violeta2 violeta3 violeta4

PUBLICIDADE ANUNCIE

 

Champagnat e as violetas

Marcelino Champagnat foi um camponês que, há quase 200 anos, no interior da França, sonhou em transformar o mundo através da educação. Ele fundou a instituição que hoje está em 82 países e beneficia mais de 650 mil crianças, jovens e adultos. No Rio Grande do Sul, esse mesmo ideal se mantém vivo em Colégios, Unidades Sociais, na Universidade (a PUCRS) e no Hospital São Lucas. São 5 mil crianças, jovens e adultos atendidos gratuitamente, além de 45 mil estudantes da Educação Básica ao Ensino Superior.

Desde aquela época, a violeta é utilizada como um símbolo para representar o jeito de ser de Marcelino Champagnat:simples, humilde, discreto e, ao mesmo tempo, marcante. Pela grandiosidade de sua obra, o 6 de junho é comemorado ao redor do mundo, estimulando pessoas a conhecer e acreditar em seus ideais e modo de vida.

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar