Um laboratório cidadão usa a própria cidade como experimento para gerar iniciativas que transformem a cidade


PUBLICIDADE ANUNCIE

A nova iniciativa utiliza, na verdade, a cidade como laboratório e não tem nada a ver com um laboratório tradicional de análises clínicas ou pesquisa. Nele qualquer pessoa pode discutir, vivenciar atividades e experimentar a cocriação de projetos voltados para inovação social.

O Translab é o primeiro laboratório cidadão ou living lab do Rio Grande do Sul e é aberto para as pessoas que queiram cruzar arte, ciência e tecnologia, a fim de transformar a vida na cidade, seja, por exemplo, em um projeto de mobilidade acessível, de design para inclusão etc.

“O Translab entende que os benefícios sociais acontecem quando o processo de inovação inicia e acontece pelas pessoas. Para isso é preciso promover o fortalecimento do diálogo com as demais interfaces do governo, das corporações e universidades”, afirma Aron Litvin, um dos coordenadores do Translab.

“Um projeto de inovação social não deve ser confundido com voluntariado ou assistencialismo. É importante pensar a estratégia de sustentabilidade econômica como um negócio”, adverte outro coordenador do laboratório, o psicólogo Daniel Caminha.De acordo com ele, o foco no capital humano para soluções inovadoras vem ao encontro do aprender fazendo, da experimentação e do compartilhamento de conhecimento.

“A cultura maker é outro fator crucial do laboratório, por isso o Translab tem um espaço com estilo de atelier para criação livre e prototipação que acolhe processos de construção em madeira, plástico, papelão e equipamentos eletrônicos”, explica.

Paxart 2

PUBLICIDADE ANUNCIE

Entre os processos de imersão com teorias e práticas passando por planejamento e cocriação em busca de descobertas para o desenvolvimento de projetos no Translab, vale destacar os quatro projetos abaixo:

Paxart – oferece aprendizagem vivencial em arte urbana aplicando técnicas de pintura, grafite, murais, posters e colagens. Por exemplo, em um dos grupos, desenhou-se pelas paredes e muros da casa onde está o Translab e os alunos fizeram cartazes que depois foram colados pela cidade livremente.

A Pezito – grupo de caminhada que faz o trajeto casa/escola e vice-versa para crianças e adolescentes de 7 a 13 anos, sendo que além do guia, a família participa. A ideia é ampliar a convivência, aumentar os laços com o bairro, diminuir a obesidade infantil e o uso de carro.

Guif – um grupo de designers de produto ensina as pessoas a criarem mobiliário, no caso inicial e para leigos, banquinhos de madeira. Há noções de materiais, aplicação e o processo de design é totalmente aberto.

Raiz Urbana – incentiva a conscientização e produção de alimentos em ambiente urbano. Eles estão com um trabalho em uma escola pública (Escola Estadual de Ensino Fundamental Ivo Corseuil) bem interessante que a educação ecológica está em toda proposta pedagógica e toda comunidade escolar participa. Há uma horta na escola e a consciência sobre a cadeia alimentar ampliou.

Raiz Urbana - feira 1

Para saber mais sobre o laboratório e participar das atividades, basta acompanhar pelo site da TransLab.

PUBLICIDADE ANUNCIE


PUBLICIDADE ANUNCIE

Comentários no Facebook

Acessar

Resetar senha

Voltar para
Acessar