USP cria plástico 100% biodegradável com resíduos da agroindústria

Uma equipe multidisciplinar de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) em Ribeirão Preto (SP) desenvolveu um tipo de plástico 100% biodegradável e economicamente competitivo em relação ao plástico comum.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Na busca por um produto sustentável, que substituísse o polímero sintético, os pesquisadores fizeram diversos testes em resíduos agroindustriais que resultaram num produto com qualidades técnicas e econômicas promissoras, além de amigáveis ao meio ambiente.

A novidade veio direto dos laboratórios do Departamento de Química da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP. A química Bianca Chieregato Maniglia e sua equipe desenvolveram filmes plásticos biodegradáveis a partir de matrizes de amido presentes em resíduos agroindustriais de cúrcuma, babaçu e urucum.

USP produz plástico 100% biodegradável com resíduos da agroindústria
Foto: Divulgação/FFCLRP

É importante frisar de onde veio essa inovação: descartes da agroindústria, altamente poluidora. A reciclagem desses resíduos e sua consequente transformação em produtos biodegradáveis, produzidos com fontes renováveis que não se esgotam (como o petróleo), é um grande avanço nas soluções que combatem o descarte desenfreado de lixo plástico.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Bianca lembra também que a matéria-prima para a produção do seu produto é barata e que não compete com o mercado alimentício. Além disso, “contém em sua fórmula compostos antioxidantes, interessantes no desenvolvimento das chamadas embalagens ativas (que interage com o produto que envolve, sendo capaz de melhorar a qualidade e segurança para acondicionamento de frutas e legumes frescos)”.

Leia também: 

No entanto, os pesquisadores acreditam que a invenção demande mais estudos e testes antes de ser liberada para comercialização em massa.

A ideia é que o plástico 100% biodegradável seja uma alternativa direta ao comum, e que chegue para brigar pela hegemonia desse nicho, uma vez que ele será tão barato quanto o polímero sintético advindo do petróleo – que leva até 500 anos para desaparecer da natureza (em contraste com o bioplástico, que leva, no máximo, 120 dias, de acordo com a USP).

USP produz plástico 100% biodegradável com resíduos da agroindústria
Foto: Mayke Toscano/Gcom-MT

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Você conhece o VOAA? VOAA significa vaquinha online com amor e afeto. E é do Razões! Se existe uma história triste, lutamos para transformar em final feliz. Acesse e nos ajude a mudar histórias.

Fonte: Jornal USP

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM



Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,644,941SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Venus Podcast e Vicente do Razões relembram história inspiradora do Matheus Motoboy

Na última quinta-feira (18/06), o Vicente, fundador do Razões para Acreditar, foi convidado pelas maravilhosas Criss Paiva e Yasmin Ali Yassine para se aventurar...

Em 20 dias, boliviana constrói casas de garrafa PET para famílias carentes

Desde pequenininha, a boliviana Ingrid Vaca Diez é apaixonada por artesanato. E ela viu nesse talento uma ferramenta para construir casas para famílias em...

Professor vai todos os dias até lan house para dar suas aulas online para seus alunos

A gente tem visto como os professores têm passado alguns perrengues nessa pandemia para não deixar os alunos sem estudo. Recentemente, uma imagem de...

Após colar aviso no carro, motorista encoraja outras mulheres no trânsito

E temos sororidade no trânsito sim, senhoras! Veja relatos de mulheres que se apoiaram para enfrentar o medo de dirigir.

Sem internet em casa, pai constrói barraca no meio da lavoura para filho estudar durante a pandemia

Nada vai impedir o filho dos agricultores Odilésio e Dejanira Somavilla de estudar! Nem mesmo a falta de internet. Eles montaram uma sala de...

Instagram