OMS aprova o uso emergencial da vacina Oxford/AstraZeneca contra a Covid-19

0
1002
OMS libera vacina AstraZeneca para uso emergencial

A lista de vacinas autorizadas pela OMS foi atualizada nesta segunda-feira (15), com a inclusão da AstraZeneca, desenvolvida pela Universidade de Oxford (EUA) e produzida nos laboratórios da Coreia do Sul e da Índia.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A liberação para uso emergencial aconteceu poucos dias após assessores da organização recomendarem a vacina para idosos acima de 65 anos. A AstraZeneca também se mostrou bastante eficiente contra as variantes do novo coronavírus, como a sul-africana, a britânica ou a brasileira.

Vacina de Oxford foi liberada para uso emergencial
Foto: OLIVIER CHASSIGNOLE / POOL / AFP

Covax Facility

A AstraZeneca ainda fará parte da Covax Facility, uma aliança da OMS que fará uma distribuição igualitária de doses das vacinas autorizadas entre os países com campanhas de vacinação em aberto.

O Brasil deve receber 1,6 milhão de doses da vacina no primeiro trimestre deste ano, número que corresponde a 15% da quantia prevista no primeiro lote.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Vacina da Oxford/AstraZeneca tem 76% de eficácia depois de 22 dias da aplicação da 1ª dose
Vacina da Oxford/AstraZeneca tem 76% de eficácia depois de 22 dias da aplicação da 1ª dose. Foto: divulgação AstraZeneca

Oxford/AstraZeneca no Brasil

A AstraZeneca se tornou a principal aposta do nosso governo contra a Covid-19. Uma das características relevantes da vacina é a sua praticidade de armazenamento, o que inibe a necessidade de grandes estruturas.

A vacina é indicada a países em desenvolvimento por seu baixo custo de compra por dose e pela facilidade de transporte logístico, como o fato de poder ser armazenada em temperatura de geladeira.

Frasco da vacina Oxford/AstraZeneca contra Covid-19 (REUTERS/Pilar Olivares)
Frasco da vacina Oxford/AstraZeneca contra Covid-19 (REUTERS/Pilar Olivares)

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) ainda recebeu do governo federal, material suficiente para fabricação de até 100 milhões de doses em solo nacional. A fundação estima que o primeiro milhão já seja entregue agora em março.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

E que reforço, hein? Que consigamos ver nosso povo todo vacinado logo!

Fonte: O Estadão e Infomoney

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.