Confeiteira é humilhada por cobrar taxa de entrega de R$2 e recebe apoio de internautas

A confeiteira Ângela Oliveira foi humilhada por uma cliente que se recusou a pagar a taxa de entrega do seu bolo de pote.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Na troca de mensagens, a cliente ainda chama Ângela de “louca” e fala que ela “não vai conseguir nada dessa maneira”.

Lançamos sua vaquinha na VOAA para Ângela comprar ingredientes e ferramentas, pois muitos itens ela pega emprestado da vizinhança. A vaquinha também ajudará Ângela a pagar aluguéis atrasados. Clique aqui e contribua.

A cliente disse na mensagem: “Amiga taxa de entrega se cobra depois que se tem clientela formada”.

Realmente, Ângela está só começando, mas tem jeito pior de incentivar quem está começando? Não mesmo.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por VOAA – a vaquinha do Razōes (@voaa_vaquinhadorazoes) em

Ângela desabafou: “Isso me machucou demais, chorei muito, fui forte pelos meus filhos, eles precisam de mim”.

Humilhada por R$ 2,00

Isso foi num domingo à noite, por volta das 19h. Por causa do horário, a confeiteira explicou que teria uma taxa de R$ 2,00 para o motoboy.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Foi então que a cliente começou ofender Ângela dizendo que ela “não tinha profissionalismo”. Oi?

“Amo fazer bolos, mas essas palavras me feriram e me doem muito ainda.”

Veja o prints da conversa:

post facebook confeiteira humilha cliente reclamou taxa entrega bolo
Print: Reprodução/Facebook

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

conversa whatsapp confeiteira humilhada cliente reclamou taxa entrega bolo
Divulgação

Vaquinha para levantar negócio da Ângela. Clique aqui e contribua.

conversa whatsapp confeiteira humilhada cliente reclamou taxa entrega bolo
Divulgação

conversa whatsapp confeiteira humilhada cliente reclamou taxa entrega bolo
Divulgação

Há 6 meses mudou-se para Marília após sofrer ameaças do ex-marido

Ângela decidiu se mudar de Sorocaba para Marília, interior de São Paulo, depois de sofrer ameaças do ex-marido. Ela viveu um relacionamento abusivo por 10 anos.

“Depois de um ano separada dele, comecei a sofrer ameaças de morte. Ele me perseguia e dizia que tiraria meus filhos de mim.”

Hoje, Ângela tem a medida protetiva e tenta recomeçar sua vida em Marília, com muita dificuldade.

Vaquinha para levantar negócio da Ângela. Clique aqui e contribua.

Desempregada, ela não conseguiu o auxílio do governo

Mãe de dois filhos pequenos, de 7 e 4 anos, Ângela se equilibra nas contas. Só de aluguel a confeiteira paga R$ 650. Pra piorar tudo, não conseguiu o auxílio emergencial do governo.

selfie confeiteira e filhos
Foto: Arquivo pessoal

Seu último emprego foi de recepcionista. A esperança de dias melhores está na venda de bolos de pote.

“Faço bolos todos os dias e vendo de porta em porta ou quando tem pedido.”

Ela aprendeu a fazer bolos e doces com vídeos do YouTube

“Eu nunca tinha feito bolo antes, mas me vi no desespero de ter aluguel para pagar e as contas chegando. Pedi R$ 100 emprestados para minha mãe e comecei primeiro com recheios que eu sabia fazer como brigadeiro e prestígio.”

confeiteira mostrando bolo pote morango prestígio
Foto: Arquivo pessoal

Confira o desfecho dessa história! Vaquinha de Ângela arrecadou mais que a meta.

selo conteúdo original razões para acreditar

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,444,158SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Espanhóis criam pulseira que permite sair de casa respeitando o distanciamento social

Seis jovens espanhóis desenvolveram uma pulseira que permite que as pessoas circulem e convivam normalmente respeitando o distanciamento social. É um dispositivo que alerta ao...

A reação emocionante desta paciente idosa ao ganhar um presente de aniversário vai alegrar seu dia

O vídeo nos prova que as pequenas coisas da vida podem ser as mais significativas.

Colinho de avô! Aposentado é voluntário confortando bebês em hospital nos EUA

David Deutchman é uma figura conhecida em hospitais de Atlanta (EUA) porque faz um trabalho voluntário muito especial: ele dá colo a bebês recém-nascidos...

Gari que faz biomedicina recebe apoio após sofrer preconceito: ‘Orgulho da minha profissão’

“As pessoas deveriam pensar um pouco antes de falar, palavras têm peso. Já não é uma profissão valorizada, e ainda tenho que passar por isso”, comentou Cleverson.

Instagram