Jovem que vive com venda de balas tem mercadoria apreendida pela prefeitura e internautas ajudam com vaquinha

A Priscila Gomes é uma jovem de 18 anos que que trabalha vendendo balas no semáforo no Rio de Janeiro.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Para ajudá-la, criamos uma vaquinha na VOAA para a jovem montar sua barraquinha no próprio Morro e dar um basta nas noites mal dormidas. Clique aqui e contribua.

Ela mora no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio de Janeiro, e trabalha todos os dias vendendo suas mercadorias no sinal para ajudar nas contas de casa.

Infelizmente, a Prefeitura do Rio de Janeiro apreendeu toda a mercadoria que ela tinha em mãos, alegando que, por causa da pandemia, Pri não poderia estar trabalhando.

 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por VOAA – a vaquinha do Razōes (@voaa_vaquinhadorazoes) em

“Estou sem trabalhar, é muito difícil. Só eu sei o que já passei e escuto até hoje. Quantas vezes fui dormir chorando pedindo que o outro dia nem começasse porque não aguentava mais”, desabafou.

Conhecemos sua história através do @guiafavela e @vozdascomunidades.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Jovem é a principal fonte de renda da casa: não pode ficar sem o dinheiro que recebe vendendo seus produtos!

É necessidade mesmo, gente!

A Pri foi criada pela tia que ela considera sua mãe. Moram as duas numa casa pequena no Morro.

jovem segurando pacotes trufas complexo alemão
Priscila quer trabalhar e ponto! Foto: Arquivo pessoal

A jovem também fazia doces para vender na comunidade, mas hoje não tem grana para comprar materiais e continuar a produção. Foi forçada a descer o Morro.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Vaquinha para Priscila montar sua barraquinha de doces no Morro. Clique aqui e contribua.

Sonho de montar sua barraca de doces no Complexo do Alemão

Esse é sonho de vida da Priscila!

Como já fazia trufas e doces para vender no semáforo, ela gostaria de ter o próprio ponto de vendas no Complexo do Alemão.

selfie jovem frente espelho segurando pacotes bala
Foto: Arquivo pessoal

Pandemia e falta de renda

Sua única renda vem da vendas o semáforo.

Mas, por causa da pandemia, as vendas caíram bastante, sem contar a apreensão das mercadorias pela Prefeitura, o que tirou qualquer garantia mínima de renda para Priscila.

“Não podemos sair pra vender e quando saímos, não tem movimento, as vendas estão bem fracas”, lamentou.

Vamos ajudar essa jovem que vai à luta todos os dias?! Clique aqui e contribua.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,829,971SeguidoresSeguir
24,609SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Velhinhos fofos fazem também sua versão de “Call Me Maybe”

Pipocou na internet centenas de versões do sucesso Call Me  Maybe, mas acredito que essa é umas das mais legais, um grupo de velhinhos...

Momento histórico: violência contra a mulher é tema da redacão do Enem 2015

O tema da redação do Enem deste ano “A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira” foi o ponto alto do exame. A...

Fundação Bill & Melinda Gates vai disponibilizar kits que detectam o coronavírus

A Fundação Bill & Melinda Gates anunciou que irá fornecer milhares de kits para teste do coronavírus (Covid-19) em casa. A doença infecciosa chegou a...

Cão empurra todos os dias a cadeira de rodas do seu dono com deficiência

O chinês Laoma Yen sofreu um acidente de trânsito quando era pequeno que o deixou na cadeira de rodas, paralisado da cintura para baixo. Aos 86...

Tia de jornalista adota gato que invadiu reportagem ao vivo: “Tivemos um final feliz”

“Minha tia Neide decidiu fica com o Frajola. Eu tô muito feliz porque ele vai ficar na nossa família. Minha tia mora perto na minha casa, então eu vou sempre visitar ele”, contou o jornalista.

Instagram

Jovem que vive com venda de balas tem mercadoria apreendida pela prefeitura e internautas ajudam com vaquinha 4