Vídeo impactante faz pessoas sentirem na pele o preconceito sofrido por LGBTs

Já falamos diversas vezes aqui, aqui e aqui sobre empatia, que nada mais é do que você se colocar no lugar da outra pessoa.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

É como habitar o seu corpo por um instante para compreender como ela se relaciona consigo e com o mundo à sua volta.

O vídeo a seguir, chocante por colocar o dedo em uma ferida da sociedade, te coloca no lugar de pessoas LGBTs para você sentir na pele o preconceito que esses grupos sofrem diariamente por causa da sua orientação sexual ou identidade de gênero.

Assista (legendas Quebrando o Tabu):

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ouvimos dizer que é importante colocar-se no lugar do outro para entender seus sofrimentos. Quando se trata do preconceito contra uma minoria social, esse é um ponto de vista bastante utilizado. A organização Inter-LGBT encontrou uma forma de fazer com que as pessoas se coloquem no lugar das outras inevitavelmente ao produzir um filme de nome "A corrida de obstáculos".

Publicado por Quebrando o Tabu em Domingo, 3 de abril de 2016

10

11

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

12

13

14

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM





Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,272,461SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Garoto de 9 anos e fã de Stephen Hawking fala sobre buracos negros no YouTube

Ele explica tudinho numa lousa branca com a tranquilidade de quem sabe o que está falando.

Menina de 4 anos fala “grosso” com pessoas que foram contra adoção de irmão com Síndrome de Down

O pequeno Archie, 7 anos, tem Síndrome de Dow e vive em um orfanato na Bulgária. E, lá, como em muitos lugares do mundo,...

Um livro-documentário sobre a medicina humanizada no Brasil

No Brasil, sabemos que os hospitais públicos são caóticos e hostis, e por isso muitas vezes médicos e enfermeiros tem uma relação distante com...

Mulher faz casacos e gorros para cães abandonados não passarem frio

Ela deixou seu emprego em 2012 e desde então ganha vida fazendo roupas de lãs para os bichos, já foram mais de 300.

Sem renda, amigas abrem brechó em garagem e mostram como se reinventar para conseguir pagar as contas

Milhões de brasileiros perderam suas principais fontes de renda com a pandemia da Covid-19. Foi assim também com as amigas Bruna e Dani, que...

Instagram