Após 12 anos escondendo vitiligo, modelo brasiliense se torna exemplo de autoaceitação

Por 12 anos a modelo de Brasília, Larissa Sampaio, de 18 anos, escondeu seu vitiligo. Eram camadas super reforçadas de corretivo e base, deixando todas as manchas da pele totalmente camufladas. Só que ela fez as pazes com o espelho e decidiu mostrar que a sua beleza também tem vez.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ainda bem Larissa, porque você é linda!

E como resultado dessa autoaceitação, Larissa começou a incentivar outras pessoas com vitiligo a também reconhecerem que são lindas e que não precisam esconder as manchas, naturais do problema de saúde.

Em seu perfil do Instagram, Larissa diz que aprendeu, com o tempo, a usar as manchas da pele como arte. E ao ver as fotos da rede social, a gente entende o porquê. Os cliques feitos por ela são únicos!

View this post on Instagram

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Eu sou muito apaixonada pelas minhas manchinhas aaaaaa. ☁️🤍🤍 Eu não tenho estrutura para dizer sobre essas fotos, confio nesse garoto de olhos fechados, todo trabalho que ele faz fica muitoo top!! 🤍 créditos á @souzaart . #fotografia #vitiligo #vitiligobeauty #vitiligomodel #vitiligoworld #vitiligoawareness #arte #artes #cores #modapraia #biquini #biquinis

A post shared by Larissa sampaio (@sampaiolariissa) on

As primeiras manchas surgiram quando Larissa tinha apenas 5 anos. Em entrevistas ela já contou que sofreu bullying na escola. Os alunos a chamavam de Dálmata.

Até mesmo na família existia preconceito. A jovem diz que uma das tias não deixava o primo brincar com ela, pois dizia que o vitiligo era contagioso.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Larissa reconhece que a autoaceitação foi um caminho muito longo, mas bastante importante. É por isso que ela defende que todos deveriam mostrar as manchas da pele, mas como forma de força e não se tornar refém de maquiagens, como ela fazia.

View this post on Instagram

Olá, como vai?! Já se olhou no espelho hoje e percebeu que sua diferença só te torna unico(a). Meu nome é Larissa Sampaio, tenho 18 anos de idade e tenho vitiligo. Irei contar um pouco da minha história com o vitiligo. A primeira manchinha apareceu aproximadamente quando eu tinha 5 anos, e isso foi algo que deixou minha família em choque, pois não tinha noção do que era. Me levaram ao dermatologista e descobriram que eu tenho vitiligo. E que, como é uma doença afetada pelo meu emocional, não posso ficar triste, ansiosa, nervosa que a tendência é só aumentar. Com o passar dos anos, as manchinhas foram se desenvolvendo pelo meu corpo, e comecei a ter vergonha de deixá-las à mostra. Usava apenas calça, pois só tinha manchas nas pernas. Lembro que, quando eu estava na quarta série do ensino fundamental, sofria bullying, recebia palavras que não me deixavam alegre nem um pouco. E, a partir de então, só foram surgindo mais manchas até chegar a um ponto em que eu não conseguia escondê-las mais. De 2016 até o meio de 2019, eu procurava ir, na maioria dos dias, para a escola com maquiagem, apenas para esconder, pois me sentia mais bonita sem as manchinhas. Recebia comentários de professores dizendo que achavam lindo eu ter vitiligo, mas infelizmente eu não levava a sério. Até que um dia conheci o @pedroabdallabs . Talvez ele não saiba disso, mas ele mudou o meu pensamento sobre minhas manchinhas, quando me PROIBIU de usar maquiagem, no máximo um rímel. Com o tempo, fui percebendo o quanto que eu sou linda do jeitinho que Deus me desenhou. Entendi que a aceitação teria que vir de mim mesma e que o amor-próprio seria mais importante do que qualquer coisa. Fui conhecendo profissionais maravilhosas (@lylaylamendes @isabeldesantisoficial ) do ramo da maquiagem, que me propuseram fazer produções sem tampar as manchas, e isso me ajudou bastante. Com certeza não poderia deixar de falar do @souzaart , que me convocou para fazer um ensaio fotográfico. Quando eu vi as fotos, fiquei impressionada. Apesar de sempre minha família me auxiliar nessa questão, ajudas de fora, também, foram necessárias para mim. Hoje em dia, NÃO VIVO SEM minhas manchinhas, elas são minha identidade.

A post shared by Larissa sampaio (@sampaiolariissa) on

A oportunidade de ser modelo surgiu através do Instagram. Uma agência entrou em contato e perguntou se ela não gostaria de tirar umas fotos profissionais. Larissa topou e, desde então, tem feito diversas campanhas publicitárias.

Nas postagens do Instagram, Larissa incentiva as pessoas com fotos e vídeos motivacionais. Ela fala da rotina de modelo, dá dicas para cuidar da pele e incentiva outras meninas e meninos a se sentirem bem com sua aparência.

Outras pessoas, mesmo não tendo vitiligo, também já passaram a acompanhar Larissa e interagir com seus conteúdos. Ela reconhece a importância de redes de apoio e, por isso, afirma sempre que não deixará de levar uma mensagem positiva para os seguidores, independente de qual seja o problema que eles enfrentam.

Que lindo exemplo Larissa! Que orgulho poder conhecer um pouco da sua história e mostrá-la aqui no Razões! Continue sua trajetória! Ela é linda como você! ❤

VEJA TAMBÉM!

Quem nunca cantou essas músicas deste jeito tá fazendo errado 😂😂 Comenta aqui uma música que não está no vídeo e que você sempre cantou de outro jeito 😂

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM









Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
4,917,765SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Cachorro adotado por gari ganha uniforme e faz sucesso limpando ruas do RJ

Pretinho, o cachorro do gari Alcenir de Aguiar Oliveira, de 50 anos, ficou famoso em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Vizinhança inteira se une para aprender língua de sinais para se comunicar com criança

Uma semana após o nascimento de Samantha, seus pais, Glenda e Raphael, descobriram que ela era surda. “Eu e meu marido nunca tínhamos conhecido alguém...

Estrela debate a importância do brincar na infância e lança aplicativo para pais

O caminhar para um mundo de sonhos se mostrou mais do que uma vontade de deixar a imaginação fluir. Dentro do universo da brinquedos...

Pai leva cachorro errado para casa e demora para descobrir

E o cãozinho "errado" achou mesmo que estava na casa dele: livre, leve e solto.

Senado aprova prisão para quem cometer racismo e discriminação na web

Mas que notícia sensacional que acabamos de saber, com informações do Bhaz: Foi aprovado pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), um projeto de lei...

Instagram

Após 12 anos escondendo vitiligo, modelo brasiliense se torna exemplo de autoaceitação 3