Viúva de vítima de acidente aéreo utiliza indenização para criar um parque de reflorestamento

Denise Thomé tinha todo o direito do mundo de ficar reclusa, chorar pelos anos perdidos e viver o luto. Mas, a esposa de uma das 154 vítimas do voo 1907 da Gol, derrubado pelo jato Legacy, numa área de floresta do Mato Grosso, dez anos atrás, fez diferente.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ela começou a correr atrás de um sonho antigo dela e do marido: a ONG Vale Verdejante. Dois meses após o acidente, ela plantou 50 mudas. Depois, ela pegou a indenização pela morte do marido e investiu na compra de um terreno de 30 mil metros quadrados, onde fundou o Parque Ecológico Mauro Romano, em Andrade Costa, município de Vassouras, no Rio de Janeiro. O nome é uma homenagem ao marido, que também se chamava Mauro Romano.

“Na época do acidente, uma médica amiga da família, que participava de um grupo de apoio ao luto, me incentivou a canalizar a dor da perda para a criação de algo novo. Foi importante para mim”, conta Denise Thomé ao jornal O Globo.

Em novembro, dez anos após o acidente que tirou a vida do marido engenheiro, ela mobilizou mais de cem pessoas para o plantio de 500 mudas de palmito-juçara, espécie ameaçada de extinção devido à extração ilegal e à destruição da Mata Atlântica.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“É preciso confiar no tempo”, reflete Denise. “Ganho mais bem-estar trazendo coisas positivas para o mundo, mesmo que o meu trabalho seja tão pequeno. Mas fazer a minha parte foi o que me deixou longe de qualquer depressão e angústia. Aprendi a ver beleza em tudo. Às vezes, tenho que me contentar com a minha limitação como ser humano. O Mauro sempre usava essa frase, que não sei de quem é: o importante não é dar certo, mas dar frutos!”

A administradora de empresas pediu demissão do emprego no setor público para se dedicar 100% ao projeto. O foco da ONG está no reflorestamento e na educação ambiental. O trabalho no terreno de 30 mil metros quadrados ganhou o reconhecimento do Comitê Médio Paraíba do Sul. A instituição premiou o Vale Verdejante no Concurso de Projetos de Boas Práticas Ambientes, em junho do ano passado.

“O nosso terreno é pequeno, mas tem espaço suficiente para abrigar várias práticas. A expectativa é manter um centro de convivência, a horta, o galinheiro e o meliponário (coleção de colmeias) de abelhas sem ferrão, importantes para o reflorestamento”, detalha Denise.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

As ações do projeto serão ampliadas. O passo seguinte será o desenvolvimento de uma plantação de goiabeiras, que servirão de matéria-prima para a produção de doces feitas pelas mulheres da comunidade. Saiba mais aqui.

Veja também: Nesta aldeia indiana, o nascimento de uma menina é celebrado com o plantio de 111 árvores

Com informações de O GLOBO / Foto: Daniel Ramalho/Verde Verdejante

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Quer ver a sua pauta no Razões? Clique aqui e seja um colaborador do maior site de boas notícias do Brasil.

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM






Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
3,995,673SeguidoresSeguir
25,464SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Professora usa matérias do Razões nas aulas de Ética com os alunos

As matérias servem de material de estudo para debates importantes com os alunos sobre valores, cidadania, representatividade e muito mais!

Veterinário faz cirurgia inédita e devolve visão a cãozinho cego

Desde o início deste ano, a vida do poodle Kauê, de 11 anos, mudou para sempre. Até então considerado quieto e introspectivo desde que...

Após 30 anos, morador de rua reencontra família graças à ajuda de desconhecidos

Passados 30 anos sem contato com sua família, Ivanildo reencontrou uma irmã e um sobrinho com a ajuda de pessoas que se solidarizaram com sua situação.

Mãe conta relato comovente sobre transformação de menino resgatado em orfanato

Ela adotou o menino que, na época, tinha 7 anos de idade e pesava somente 3 kg.

Marido sai pelas ruas com uma placa procurando doador de rim para sua esposa

Marido Larry Swilling, de 78 anos, tentando desesperadamente achar um doador de rim para sua esposa Jimmie Sue depois de 2/3 anos na fila de...

Instagram