Vizinhos e padaria acolhem moradores de prédio que pegou fogo em Curitiba

Um incêndio no 15º andar do prédio Bigorrilho, em Curitiba, deixou 80 moradores desalojados na madrugada da última quarta-feira (8). Era por volta das 5h quando as chamas começaram a se espalhar.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Apavorados, os moradores rapidamente começaram a deixar o prédio. As chamas provocaram a morte de uma pessoa e deixaram outra ferida. Foi quando os moradores do prédio vizinho pularam da cama, após ouvirem a movimentação, para iniciar um trabalho de acolhida.

A síndica do edifício Camapuã, Ângela Camargo, foi a primeira pessoa a descer até a rua e convidar seus vizinhos para entrar, ainda mais porque fazia frio e havia muitos idosos. A situação ficou ainda pior quando explosões no apartamento onde começou o incêndio começaram a lançar estilhaços na rua.

Ângela sabia que precisava abrigar os moradores do prédio em frente de alguma maneira. Sem nem pensar muito, ela liberou o salão de festas do edifício Camapuã e chamou todos para dentro. Por causa do nervosismo, muitos hesitaram, mas acabaram cedendo, principalmente depois que o Corpo de Bombeiros isolou o local para apagar o fogo.

“Eles foram descendo, alguns fizeram café. Todos tentavam achar maneira de acalmar essas pessoas”, disse a síndica ao jornal GAZETA DO POVO.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Pouco tempo depois, foi a vez da padaria Requinte, vizinha do prédio atingido pelo fogo, a prestar solidariedade. A proprietária do estabelecimento, Fátima Regina Cazella, seguiu imediatamente para o local quando soube do incêndio.

Ao ver os moradores sendo acolhidos, ela decidiu se juntar a essa corrente do bem. “A gente levou uns sanduíches, mais café e água. Além de nossos clientes, são nossos vizinhos. Estamos há tantos anos juntos aqui que o mínimo que a gente pode fazer numa hora dessas é ser solidário com essas pessoas”, afirmou.

A Cosedi (Comissão de Segurança de Edificações e Imóveis) conseguiu entrar no edifício Bigorrilho por volta das 9h. Enquanto tentam descobrir as possíveis causas do incêndio, os moradores ficarão fora de suas causas. Desabrigados, porém com o amparo e a solidariedade dos seus vizinhos.

Com informações do GAZETA DO POVO | Foto: Aniele Nascimento/Gazeta do Povo

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

CanaisPatrocínios
Marcas que nos apoiam

MARCAS QUE NOS APOIAM


Quer receber boas notícias todas as manhãs?

1,102,320FãsCurtir
2,829,971SeguidoresSeguir
24,609SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Campanhas que sensibilizam sobre o poder da cultura na formação das crianças

Nos primeiros anos de vida as crianças aprendem a andar, falar e pensar. O que acontece nessa fase pode mudar para sempre a vida...

Bar nos EUA abriga cães resgatados prontos para serem adotados

Em um ano, o bar intermediou a adoção de mais de 70 cães resgatados, dando-lhes uma nova chance de viverem e serem amados.

Protesto silencioso na Turquia

Os protestos na Turquia começaram dia 28 maio e seguem acontecendo depois de mais 20 dias. A repressão policial não consegue acalmar os ânimos...

Campanha quer levar primeiro grupo de dançarinos profissionais Down para um dos maiores festivais do mundo

Você conhece a ONG Instituto Movimentarte? Ela tem um trabalho incrível que usa a dança como ferramenta de transformação social com os portadores de síndrome de...

Instagram

Vizinhos e padaria acolhem moradores de prédio que pegou fogo em Curitiba 2