Voluntarioso, comerciante retira lixo de lago numa jangada

Com uma jangada feita de tubos de PV, o comerciante Antonio Ferreira de Araújo, de 60 anos, recolhe garrafas, sapatos, embalagens e latas lançados nas águas do Lago Azul, em Guarulhos, São Paulo, pela manhã, há cinco anos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com uma iniciativa simples, o seo Antonio mostra que a prática pode ser muito mais facilitada do que o discurso. É uma forma de os moradores valorizarem a própria comunidade”, destaca a coordenadora do Centro de Educação Ambiental (CEA) Água Azul, Kelly Cristina Fonseca de Almeida.

O que move o seo Antônio a fazer esse trabalho voluntário é o inconformismo. “Eu sempre fiquei muito incomodado em ver esta ‘lixeira’ toda e comecei a recolher. Antes, eu fazia com um pedaço de bambu, mas não conseguia pegar as garrafas fechadas. Até macumba tinha! Aí digo, ‘peraí, vou fazer uma jangada’.”

Nascido em Garanhuns, Pernambuco, seo Antônio mantém um quiosque à beira do Lago Azul, onde também mora com a família há dez anos. Ele diz que não sabe quantificar quanto lixo já tirou dali. “São pessoas da própria comunidade e turistas que vêm aqui brincar no lago aos fins de semana e jogam as coisas”, reclama. “Já fui até denunciado na polícia. Falaram que eu estava jogando rede para pescar aqui. E quando eu falo para não jogarem lixo, o povo diz: ‘você agora é dono da lagoa?’. Eita povo difícil!.”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Fotos: Reprodução/Fabio Nunes Teixeira (PMG)

via [Prefeitura de Guarulhos]

Relacionados

Quer receber boas notícias todas as manhãs?

987,764FãsCurtir
1,764,214SeguidoresSeguir
8,645SeguidoresSeguir
11,200InscritosInscrever

+ Lidas

Jovem cria escola de lona para alunos carentes em Tocantins e internautas criam vaquinha

Com alguns tecidos, plásticos e madeiras que encontra no lixão, jovem construiu a sua escolinha de reforço. Mas quando chove, ele perde tudo.

Pitbull resgatado de “rinha” não para de sorrir no novo lar

Publicamos no final do ano passado o resgate de 33 pitbulls de uma “rinha” em Itu (SP). O estado dos cães era muito triste. Hoje,...

Menino vende desenhos no portão de casa para ajudar a família e comprar telas

Kayque coloca seus desenhos à venda no portão de casa por R$1,50 para conseguir dinheiro para as telas e para ajudar a família.

Cadeirante que faz entregas em SP sonha ter cadeira motorizada e internautas criam vaquinha

Conheçam o Luciano Oliveira, 44 anos, cadeirante que ficou conhecido por trabalhar como entregador de comida por aplicativo.

Ortobom doa 500 colchões para vítimas de chuva em Raposos (MG)

A Região Metropolitana de Belo Horizonte foi a mais afetada pelas fortes chuvas que caíram em Minas Gerais nas últimas semanas. Um exemplo é...

Instagram